O Tempo e o Jeito

admin Artigos

Por Almir Nahas (*)

Não existe desafio intransponível. Para o ser humano vencer qualquer dificuldade precisa saber contar com dois amigos. O senhor Tempo e o senhor Jeito. Às vezes é preciso contar com o Tempo para achar o Jeito. Às vezes, o Jeito é ter paciência para esperar o Tempo chegar. O Tempo, porém, nunca se atrasa. O Tempo na verdade é quem diz a hora certa de se chegar onde se quer. O que acontece com os ansiosos é que eles desconhecem o Jeito e acham que podem apressar o Tempo.

Esses dois amigos andam sempre juntos. E junto com eles andam todas as pessoas bem sucedidas, prósperas e equilibradas. Às vezes o Tempo revela o Jeito, às vezes o Jeito prepara a chegada do Tempo.

O desajeitado e o destemperado não olham de fato para a felicidade. O determinado desajeitado se sobrecarrega, perde o foco e cansa rápido. O determinado destemperado atropela os outros, não conquista aliados, e sozinho ninguém dá um passo. O querer sozinho, portanto, não garante o sucesso de um objetivo.

É preciso saber querer. Com o Jeito, se junta força, conhecimento e recurso suficiente para chegar onde se quer, E para isso se conta com o Tempo, que também atende pelo apelido de Perseverança.

Se é preciso esperar, o que nos submete ao Tempo, é preciso ter bem perto o melhor Jeito de esperar: apenas sentar e zapear numa tela grande ou pequena? Melhor achar o Jeito de manter-se ativo, motivado, indo até o que se quer enquanto o que se quer vem até nós.

Quanto mais amigo do Tempo, menos energia se perde em vão. Quanto mais amigo do Jeito, melhor a visão, o tato, o olfato e a audição e a intuição, facilitando identificar um oportunidade quando ela surge.O Tempo é sábio, o Jeito é esperto. O Tempo é firme, o Jeito é flexível. O Tempo ajeita cuidadosamente o Jeito, o Jeito aproveita respeitosamente o Tempo.

Para quem gosta de andar bem acompanhado, recomendo esses dois amigos. Sempre que me lembro deles e conto com eles em meus projetos, tudo dá mais certo e flui mais fácil. Hoje eu penso que quando eu conseguir ser um amigo inseparável do Tempo e do Jeito, eu terei conquistado também uma grande amiga: a Sabedoria.

(*) Almir Nahas é Jornalista, consultor, instrutor e facilitador sistêmico.

13/08/2019, voando de Campinas a Brasília