Não se Perca do Seu Propósito

Almir Artigos Leave a Comment

Não se perca do seu propósito

(*) Por Almir J. Nahas

Não vou falar de objetivo, meta, de micrometa, de alvo. Quero falar das entranhas. Lá onde encontramos as razões que nos fazem querer acordar de manhã todos os dias, e ir à luta. Toda alma tem e precisa ter um propósito, para não se tornar um morto-vivo. Acordar por acordar, ir porque tem que ir, fazer porque é o que tem pra fazer, receber, pagar, guardar alguma coisa. Pra quê mesmo? Para comer? Sim, é atávico, mas não define um propósito. Aliás, pode perfeitamente matar o propósito, se a pessoa não prestar atenção em si mesma.

O propósito, quando está norteando as decisões da pessoa, não apressa, não exige, apenas se impõe. Não pressiona, mas não recua. Em algum momento, mesmo que tendo sido criada longe das condições ideais, uma luz se fez e a criança, o adolescente, o jovem adulto encontrou seu propósito. E seus olhos brilharam, seu sorriso se acendeu, sua alma falou.

Se isso não aconteceu exatamente assim com você, pode ter acontecido de outro jeito. Muitos, de inúmeras maneiras, já tiveram essa clareza e essa certeza às vezes até temerosa, por parecer tão ampla e grandiosa num mundo cerceado por crenças limitantes, em que vislumbrar a plenitude seja quase pecado.

A partir de então, o que aconteceu? Esse capítulo seguinte também tem infinitas variações. Cada história é única e pessoal. Porém, as possibilidades são essencialmente duas: ou a pessoa colou no seu propósito e vive uma vida realizada, em todos os sentidos. Ou se embrenhou nos meandros da vida, adotou valores que não são de fato seus, fez seguidas concessões para conseguir ter uma vida normal, enfim, perdeu-se do propósito, deixou de leva-lo tão a sério ou simplesmente se esqueceu.

Mas sempre é tempo de acordar do sonho, duvidar do que querem fazer você sentir, fazer você pensar, e buscar uma (re)conexão com seu propósito. E a partir daí, descobrir o que a Vida lhe reserva, além dos padrões da Matrix. Só você pode ser a verdadeira mudança no mundo. Não há opção. Pelo menos para o seu mundo.

(*) Almir J. Nahas é jornalista, consultor, palestrante, facilitador e instrutor de Constelações Sistêmicas.

Deixe uma resposta